quinta-feira, 7 de novembro de 2013

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

MENINO

Menino fala com bicho

fala com as árvores e com as águas

fala com os cometas e com o sol

 

Menino fala com o vento

fala com o que não ver

fala com o escuro

 

Menino tem a imaginação de falar com tudo

se movimenta com os pés e com as asas

Menino dorme e continua imaginando

 

Menino tem o dom de ouvir o silêncio

domingo, 7 de julho de 2013

POEMA


no final

(como no princípio)

só as ideias ficarão

 

o gás

o vento

e o invisível

quinta-feira, 9 de maio de 2013

NÃO FAÇO PARTE


Sabe aqueles homens cheios de promessas para o futuro e que estampam suas fotos em cartões com um número grande e vermelho para que você vote nele?
Não faço parte.
Sabe aquela gente que se espreme nos teatros sem saber o nome da peça e dizem que leram Ulisses sem entender nada só porque é cult?
Não faço parte.
Faço parte do povo que vaga de rua em rua, buscando uma causa, um motivo para tanta miséria humana.
Faço parte do povo esmolando o pão e o perdão.
Faço parte do silêncio embora tenha num esforço tentado lançar meu ganido, minha ira na cara dos opressores.
Ah! Sabe aquela classe de cidadão que trabalha, paga as contas, faz filho e cria a esperança para enganar a si mesmo de que um dia tudo vai melhorar?
Não faço parte.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

PARA LÊDO IVO


De repente
      assim
      como um milagre
(sem explicação
      claro)
ele bateu
e assim seguiu
por mais de oitenta anos

até que antes do natal
      de 2012
      (sem explicação)
ele parou

o coração de Ivo

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

PROFECIA TARDIA

Nem Maia. Nem Nostradamus. Nem Apocalipse. Nem Super-Homem. O que rasgou o céu em um estrondo de luz nesse Fevereiro de 2013 na Russia, foi basicamente uma pedra com 10% de ferro que viajou numa velocidade altíssima.de cantos remotos do universo. Ainda bem que não foi uma daquelas grandes, que matou os dinossauros. Ainda bem!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

PROFECIA

...e o mundo nem acabou. Bem que a gente esperou na praia, os pés descalços, a água vindo e voltando. Bem que a gente se uniu e decidimos esperar todos juntos. Eita mundão danado! Nem acabou. Como só faltavam poucos minutos para o novo ano, fomos comemorar.