segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

NO DIA SEGUINTE


...aí já serei
sem essa consciência
só uma lembrança

a prova da minha
existência
será o poema que fiz

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

AO MEU PAI

depois de vestir os gestos de meu pai
entendi suas falas
ele dizia tudo nos movimentos do olhar
me revesti desse mesmo silêncio
para compreender o que ele dizia

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

2012


esse texto MAIA fala do fim dos tempos em 2012. Como não entendo "maia", fica o dito por não dito. Caso seja verdade, muita coisa ficará "pela metade"... E tanto que esperamos por uma copa do mundo aqui, para apagar a terrível imagem que ficou da primeira.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

MANCHETES

“Conceição pulou do Ap.”
(corpo amorfo no asfalto)

“Bandido foge do DP”
(corpo espancado depois do assalto)

“O dia repassado na TV”
(em corpos incautos)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

NA MANHÃ DOS FRUTOS

na manhã dos frutos
o cheiro é físico
subjuga a luz
esmaga o silêncio
e o canto dos pássaros
devora auroras

terça-feira, 19 de outubro de 2010

CREPÚSCULO

era mais que um grito
a luz viva incendiando
o horizonte
numa anarquia de cores

era mais que o fim
de uma tarde

era uma cor que ardia
(jorro de átomos)
no pânico do silêncio

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

HUMANISMO (1)

Mais humanidade na mão
que estende o pão

Mais humildade no coração
que escuta o perdão

Mais humanismo dentro do humano
para ser irmão.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

TODOS ARMADOS

Os bandidos armados
com fuzis
O povo armado
com o medo
A lei armada
com papéis
Todos armados
contra
todos
armados
contra
todos contra

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

FINNEGANS


decifre a esfinge ou seja devorado

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

MANIFESTAÇÃO

A gente nunca vai saber quem deu o primeiro
tiro,
ou foi a primeira pedrada,
ou foi o primeiro insulto, palavrão, sei la.
O tiro pode ter sido o revide de alguma coisa
O fato é que as armas apareceram
Nunca ninguém pensou que havia tantas armas
escondidas
Por que a televisão não estava lá filmando?

terça-feira, 3 de agosto de 2010

INSTANTÂNEOS

(fragmentos
ópticos captados pela
objetiva da retina)

AGONIA DOCUMENTÁRIO RISO TRÂNSITO CONCRETO CAOS AMOR DOR CONGESTIONAMENTO MEDO REPORTAGEM FURTO DESPEJO DENÚNCIA CRÍTICA HORROR TERROR ALERTA BOMBA VINGANÇA GANGUE ASSALTO EXCREMENTO GRITO PAVOR TORPOR PÂNICO LETARGIA SUICÍDIO SACRIFÍCIO ÁCIDO POLUÍDO EXCLUÍDO UTOPIA RAIVA VINGANÇA AGÔNICO

quinta-feira, 29 de julho de 2010

quarta-feira, 14 de julho de 2010

LIXO

lixo é o conjunto de coisas que estorvam
lixo é o sentido fora da intenção
lixo é a palavra a mais na frase
lixo é dizer sim quando se era o não
lixo é a voz dentro do silêncio
lixo é o tapa depois da razão
lixo são os dentes sem uso
lixo é o que sobra que outros usarão

terça-feira, 6 de julho de 2010

As palavras dizem. Os olhos também. As intenções denunciam. Os gestos traem. Os avisos no tempo indicam. Dizem o semáforo e os sinais das profecias. As cartas predizem. Os búzios. Borra do café. Cartas náuticas guiam. As linhas da mão apontam. Os faróis alumiam.
No íntimo tudo fala.
Tudo se comunica.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

SEM TÍTULO

Os sapatos são usados e se gastam. Os pés não. Fotografias amarelam. As lembranças passam. O corpo tem tamanho definido. Os cabelos e as unhas continuam a crescer. Os sapatos e os dentes são escovados. As unhas cortadas e polidas. Os sapatos são polidos e se gastam. Os pés não são polidos e não se gastam.

terça-feira, 22 de junho de 2010

TENTATIVA DE SOBREVIVÊNCIA

Por que você não tenta comer prego?
Tem gente que come vidro, gilete
Você pode tentar comer prego,
desses assim pequenininho
Depois sai tudo na merda
tenta engolir um aí

terça-feira, 8 de junho de 2010

O ar é impuro, mas se precisa respirar
A comida é cara, mas se precisa comer
O corpo é estranho, mas se precisa amar
A vida é dura, mas dar para viver
A cidade tem perigos, mas é preciso andar
Todos temos liberdade, mas é preciso se esconder

terça-feira, 11 de maio de 2010

PARECE

Parece
prece.
É lamento:
descontentamento
atrevimento
revolta
desilusão

quarta-feira, 5 de maio de 2010

A GENTE NO UNIVERSO DE SAMPA

Viagem silenciosa da terra
A terra viaja numa média de 29,7 km/s
Sua velocidade máxima é no periélio, a 30,2
km/s
A velocidade mínima é de 29,2 km/s no afélio

Viagem conturbada
A gente viaja numa média de 30 km/h num
coletivo
A velocidade máxima é de 45 km/h
quando se entra numa marginal congestionada
A velocidade mínima oscila entre 0 (zero) e 5
km/h
entre buzinas e xingamento dos motoristas

A terra arrasta em sua viagem,
satélites artificiais e a lua

A gente arrasta em nossa viagem à cidade,
nosso cheiro e os pensamentos

sexta-feira, 9 de abril de 2010

SOCIAL E O PESSOAL

Uns escreveram
outros leram

Uns criaram
outros aprenderam

Uns seguiram
outros feneceram

segunda-feira, 5 de abril de 2010

PENSÃO

4 beliches
8 por quarto
o banheiro é coletivo

terça-feira, 16 de março de 2010

O INIMIGO

O inimigo
não é o mendigo

é a fome.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

SÃO PAULO

São 7:30
o jogo de futebol começou às cinco
mas o medo começou muito
antes, desde o primeiro assalto.

Na antiga São Paulo
uma velha
ainda sobrevive sem dentes e grita
socorro em várias línguas.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

CAJU

suspenso
e ácido
o cheiro noturno
do caju

em mim se erguia
esperando que a luz
(da manhã)
atingisse sua pele
para revelar seu nome

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

OSSO

o osso
não esplende luz

armação que
mantém numa sustentação
o nosso amor
a raiva
e o sonho